terça-feira, 11 de maio de 2010

Confissão I

Se não necessitas de amor
Deixe-me ser só.


Ainda não aprendi a querer por partes,
Ainda não aprendi a não amar intensamente.

E, sinceramente, eu não pretendo ser pela metade.

4 comentários:

João Costa. disse...

Profundas palavras, caro colega.
Tudo culpa do amor, essa fera bavia e arisca que cega os olhos e adormence a razão.

"E, sinceramente, eu não pretendo ser pela metade."

Não há melhores palavras para se finalizar um poema desses.
Muito, obrigado pela postagem.
E até mais ver!

Talles azigon disse...

Jhonatan sinceramente eu estou em estado de exatase com esse seu poema, lindo

lindo mesmo.

e eu gosto dele inteiro todo inteiro, não pela metade

Talles azigon disse...

convite para lê meu post como convidado no mundo leitor
http://mundo-leitor.blogspot.com/2010/05/para-drummond.html

Anônimo disse...

Amooo esse aiii d++++!!!
Td oq escreve é bom, interesante e legal!!!
Te amuuuhhh d+ Jhonny!!!
The Boys!!!

Vc sabe qm é!!!(G)