terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Pedido I

Agora eu te peço que vá

Vá para qualquer lugar
Que esteja fora de cogitação
Para qualquer lugar
Onde alguma barreira isole a intuição.

Eu imploro que vá
E leve consigo as fotografias, as imagens na memória
As palavras ditas, os sentimentos
Os lugares carregados de lembranças
Leve todos os nomes iguais aos seu e todas as letras do seu nome

Leve também as marcas de suas intenções
As mentiras, as explicações fajutas
Os motivos para tanta dor

E o meu coração? Leve também.
Será impossível conviver tão de perto com ele,
que ainda insiste em ser completamente seu.

Um comentário:

O solitário Jim disse...

que lindo!
por hora eu poderia dizer que foi feito por mim.
mas se sim eu teria que partir, repartir.