quarta-feira, 1 de dezembro de 2010



Não se aproxime de mim.

Prefiro reparar-te de longe

Mirar teus olhos que desviam-se para todos os lados
E perdem-se, sós.
Não se aproxime de mim.
De perto a sua forma se transforma em vulto embaçado
Ao ponto de suas intenções confundirem em graus as minhas retinas.
Não chegue perto de mim.
De longe percebo, ao menos, seus movimentos
Mas de perto um certo pavor me cega.

Meu cérebro, necessitado, ordena que eu toque:
Toco, sinto e padeço, lamentando ser, de perto, apenas uma ilusão.

7 comentários:

R. Freitas disse...

È de uma beleza extraordinária *--* muito lindo Jhon

TiAgUym.. disse...

Sim é de uma beleZa extraordinaria, porem um pouco forte.. Abraços amigo!

TiAgUym.. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gilson rodrigues disse...

eu sinto! ^^

O solitário Jim disse...

que beleza!

Flávia Corrêa disse...

humnnnn...ai a ilusão!!!

Jéssica Moreira disse...

Gostei muito.